70º ANIVERSÁRIO DO NASCIMENTO DO 2CV IMPULSIONA A GEMINAÇÃO ENTRE MANGUALDE E LEMPDES

No âmbito do 70º aniversário do 2CV e do projeto de geminação entre Mangualde e Lempdes, estiveram presentes em Lempdes (França), membros do “Club des Amis de la 2CV”. Aste grupo, bem como a Henri Gisselbrecht, Presidente da Câmara Municipal de Lempdes, juntou-se João Azevedo, Presidente da autarquia mangualdense.

Durante o evento, discursou o Presidente da Câmara de Lempdes e o Presidente da Câmara de Mangualde, onde demonstraram o reconhecimento a todos aqueles que têm trabalhado em prol desta união. Os discursos foram acompanhados de tradução, por forma a aproximar aqueles que se encontravam presente.

“70 anos num documento que representa a história de uma terra onde esteve o criador do 2CV, e uma terra onde se fabricou o 2CV. Essa história não pode ser apagada! Tem que ser uma história mantida durante as próximas décadas. (…) Também permitiu que uma terra como Mangualde tivesse uma marca que permitisse a criação de milhares de postos de trabalho. Esta marca representa não só o passado, mas também o futuro” – João Azevedo, Presidente da Câmara Municipal de Lempdes.

“Estou muito feliz hoje e agradeço a presença de todos (…) 1300 quilómetros separam as nossas cidades, mas muitas coisas nos aproximam. (…) Fora a paixão pelo 2CV, temos consciência de que temos muito mais em comum. As duas cidades são de tamanho quase idêntico, ambas situadas em zonas de meia montanha, com uma grande vida cultural e de vida associativa.” – Henri Gisselbrecht, Presidente da Câmara Municipal de Lempdes.

A ideia de geminação entre as duas cidades surgiu de uma iniciativa dos Clubes de 2CV das duas cidades – o “Club 2CV de Mangualde” e o “Club des Amis de La 2CV” –, que se dirigiram às respetivas autarquias para proporem a ideia, desde logo aceite.

HISTÓRIA DAS DUAS CIDADES LIGADA AO 2CV

Lempdes é considerada a “cidade berço” do 2CV. Era em Lempdes que o criador do carro residia, sendo que a sua casa abriga agora os Paços do Concelho. Pierre Boulanger, engenheiro de formação, tinha assumido a direção da Citroën a pedido da Michelin, proprietária da marca. O seu projeto sempre fora de conceber um carro que fosse barato e económico para que um maior número de franceses pudesse aceder ao prazer de se deslocarem em automóvel. A segunda guerra mundial veio interromper este projeto, que só se concretizaria em 1948 com a apresentação do 2CV no Salão Automóvel de Paris, em outubro desse ano. Pierre Boulanger faleceu, ironia do destino, num acidente de carro, em 1950, sendo sepultado em Lempdes.

Mangualde, por sua parte, ficou associada à Citroën e ao 2CV em particular pelo facto de ter sido produzido o último exemplar desse modelo na Citroën Lusitânia, a 27 de julho de 1990. A realização da Rotunda 2CV à entrada de Mangualde e a colocação de um pequeno monumento junto da fábrica lembrando este facto faz com que inúmeros bicavalistas passem em Mangualde para recordar este facto.