A lusofonia, de mãos dadas, para organizar II Festival Internacional da Literatura e Arte, por iniciativa de uma academia de escritores na Suiça

Genebra foi pioneira na organização de um mega evento literário lusófono mundial, iniciativa da ALALS (Académie de Lettres et Arts Luso-Suísse), e a convite destes foi coorganizado em várias cidades e países, no mesmo fim de semana, nos dias 7 e 8 de Outubro.

A ideia de organizar um Festival Internacional que fizesse a promoção, divulgação das obras, autores e artistas lusófonos partiu de Augusto Lopes, presidente e fundador da ALALS.
Augusto Lopes é escritor, a morar em Genebra, onde os suíços têm grandes hábitos de leitura, à semelhança dos países nórdicos da Europa, mas ao contrário do que se passa nos países latinos.
Procurando ajudar a alterar esse cenário, a ALALS, através dos seus académicos presentes em vários países lusófonos, contactou diversas associações literárias, para em conjunto, co-organizarem a II edição do Festival Internacional de Literatura e Arte, envolvendo quase 300 escritores a participaram nesses eventos.
Em Genebra este evento foi organizado pela ALALS- Académie de Lettres et Arts Luso-Suísse, e teve lugar no Club Olá Portugal, de onde também se geria, à distância, os eventos realizados nos outros países. Houve um almoço convívio, no Café Literário Pessoa, com escritores lusófonos vindos de vários Cantões da Suíça e incluindo de outros países, como por exemplo da Noruega, seguindo-se depois apresentações de livros, recitação de poemas e uma cerimónia de Tomada de posse para novos Membros Académicos, finalizando com a atuação do cantor célebre da TV portuguesa Norberto Ferreira. O Canal de TV Lusoproductions fez a cobertura do evento, para a Bélgica.

No domingo, neste mesmo lugar atuou o cantor Fernando Santana, encerrando um fim de semana bem animado, fazendo juz ao bom nome do Club Olá Portugal.
Este evento foi ainda realizado ao mesmo tempo em Angola (pela Associação Literária e Cultural de Angola,- ALCA), na Província de Benguela, nos Municípios de Benguela, e Cubal, tendo conatdo com a presença de várias figuras do governo.
Em Moçambique, teve lugar na cidade de Xai Xai, através da Associação Cultural Xitende”. Maputo também acolheu este evento, tendo sido realizado em dois lugares, no Bairro Luís Cabral, e um outro realizado na mesma cidade, através do poeta Sanjo Muchanga, na Escola secundária Quisse Mavota,
No Brasil, foi a jornalista e Diretora do Jornal Sem Fronteiras, Dyandreia Portugal (Presidente de Honra da ALALS) que organizou um evento no Rio de Janeiro, Ainda no Brasil, este festival teve também lugar em Niterói, Decorreu no Centro de Memória Fluminense e foi realizado pelas Edições Muiraquitã, por Labouré Lima e Raquel Ribeiro.

artigo: Augusto Lopes)
 Fotos: LusoProductions; e Lou Carriço