Aldeias Humanitar: Intervenção humanitária com raízes no Douro Sul é exemplo de boas práticas em Portugal

O Aldeias Humanitar, conceito que obteve desde o início o Alto Patrocínio de Sua
Excelência o Presidente da Republica, faz intervenção humanitária de saúde e amparo
social. Com projeto piloto em Sernancelhe e Penedono está em processo de alargamento
para outros concelhos. A matriz conceptual e científica deste inovador modelo de
integração de cuidados é cada vez mais um exemplo de boas práticas.
Esteve no Congresso Internacional dos Hospitais como um modelo complementar essencial
para o apoio às pessoas do interior, nesta nova realidade demográfica.
Recentemente, viu reconhecido o seu trabalho com a entrega de apoio financeiro proveniente
do Bazar Diplomático, em cerimónia presidida pelo Presidente da República. Entretanto, o
Aldeias Humanitar foi convidado para o Encontro Nacional de Integração de Cuidados que se
realizou na Figueira da Foz, com a presença das grandes referências técnicas e científicas da
saúde.
Passos firmes e largos para uma estrutura que só está no terreno há pouco mais de um ano.
O Aldeias Humanitar faz intervenção complementar à realizada pelas instituições, municípios e
SNS. O objetivo principal é promover qualidade de vida e combater o desamparo humano. Esta
intervenção é completamente gratuita para os cidadãos que dela usufruem.
O Aldeias Humanitar nasce de um trabalho científico e conceptual de voluntários da região do
Douro Sul, que o fizeram integrados na Agência Social do Douro, estrutura junta pessoas de
todas as sensibilidades políticas e sociais, que estudam e apresentam soluções para a região,
em todas as áreas, com resultados muito visíveis já na área da saúde e do amparo social.
O Aldeias Humanitar é também uma associação de cuidadores informais, representando todos
os cidadãos que cuidam de outros cidadãos. Defender para dignificar as pessoas.