Assinado contrato de empreitada de reconstrução de 94 habitações permanentes

A Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDR-C) assinou hoje contrato com o consórcio responsável pelas obras de reconstrução das habitações permanentes atingidas pelos incêndios de outubro do ano passado. A cerimónia de assinatura do contrato decorreu durante a manhã de hoje, no salão nobre da Câmara Municipal de Tondela.

Sobre este primeiro contrato de empreitada, que prevê a reconstrução de 94 habitações, num valor aproximado de 12 milhões de euros, o presidente da Câmara de Tondela, José António Jesus, considerou tratar-se de “mais uma importante etapa”.

“Falta agora o visto prévio do Tribunal de Contas, esperando-se a maior celeridade, para que se iniciem os trabalhos, quer da elaboração dos projetos, de arquitetura e da estabilidade, que sempre demorarão algum tempo, onde se procurará ajustar a adequação da edificação e dimensão e espectativas do agregado familiar, quer a construção ou reconstrução de tantas casas que são habitação própria e permanente”, acrescentou.

No seu entender, é crucial que não se perca tempo, de forma a garantir que todas estas obras possam estar concluídas até ao final do ano.

“Bem sabemos como este objetivo é difícil, mas tudo faremos, mobilizando prestadores de serviços e subempreiteiros locais, para que tudo seja feito, dando um grande exemplo ao país, na organização, na estratégia e na eficácia desta missão. Não me desviarei deste objetivo”, destacou.

De acordo com a presidente da CCDR-C, Ana Abrunhosa, esta é “uma empreitada muito significativa”, que visa a reconstrução total de 74 habitações e parcial de outras 20.

Estas 94 habitações, abrangidas por esta empreitada, são referentes a obras com valores superiores a 25 mil euros. Já as restantes famílias, que fizeram o seu pedido, “terão resposta esta semana”, garantiu. Na CCDR- C deram entrada 174 pedidos de apoio.

Ana Abrunhosa aproveitou ainda a ocasião para destacar o trabalho do presidente do Município de Tondela, assim como da sua equipa, que ao longo dos últimos meses deram apoio às famílias que tiveram danos muito significativos nas suas habitações, fazendo chegar dossiers “muito organizadinhos”.

“Os tondelenses estão bem entregues. Nunca ouvi o presidente queixar-se do muito trabalho, nem nunca lhe ouvi a palavra difícil”, apontou.

Durante a cerimónia, o secretário de Estado do Desenvolvimento e da Coesão, Nelson de Souza, mostrou-se confiante em relação à brevidade do visto do Tribunal de Contas.

“Temos a certeza de que temos o processo bem instruído e devidamente esclarecido e organizado, tendo nós total disponibilidade para a prestação dos esclarecimentos que eventualmente o Tribunal de Contas venha a pedir”, concluiu.

Cristina Marques