CADA CAVADELA SUA MINHOCA

Por Celso Neto

Cada cavadela sua minhoca
Anda muita gente a fazer batota
Desta vez foi Basílio Horta
A quem o “engano” bateu à porta!

Toda a gente é seria até se demonstrar
Que anda a aprender ou já a “ocultar”!
Os milhões são uma tentação
Para alguns “servidores” da Nação…

Entregue a esta “bicharada”
O povinho paga e não abicha nada
É uma situação arrepiante!

Anda por aí muito tratante
Que começou com uma mão atrás e outra adiante
Mas… a quem hoje não falta nada!