Câmara de Viseu entrega subsídio de 55 mil euros aos Bombeiros Voluntários

Presidente da Câmara pede pacto pelo pagamento das instituições do Estado às corporações num prazo máximo de 30 dias. Apoio municipal aos Voluntários de Viseu é superior a 125 mil euros/ano

O Presidente da Câmara Municipal, Almeida Henriques, esteve esta quinta-feira, 11 de abril, no quartel dos Bombeiros Voluntários de Viseu, em Rio de Loba, para cumprir “um ato simbólico”: entregar o cheque relativo ao subsídio à atividade da corporação para 2019, no valor de 55 mil euros.

“Há momentos que têm um simbolismo especial e este é um deles, por isso fiz questão de vir ao quartel entregar este subsídio”, referiu o Presidente da Câmara, que se fez acompanhar nesta visita do Vice-Presidente, Joaquim Seixas, que tutela a Proteção Civil municipal.

Almeida Henriques destacou “o carinho” que o Município tem pelos Bombeiros Municipais de Viseu e apelou à mobilização de todas as instituições e partidos políticas na defesa pelo pagamento das dívidas do Estado Central à Associação Humanitária.

O autarca diz que “não se pode pedir às mulheres e homens que vão para o terreno que tenham estabilidade, se não sabem se vão receber o vencimento ao final do mês para honrar os seus compromissos”. E lembrou que o incumprimento do Estado Central deveria ser censurado por todos, pois “os bombeiros não estão a pedir nada que não lhes seja devido, pois já fizeram o serviço”.

“Deveria existir um pacto para que o pagamento às corporações fosse feito a 30 dias. Vale mais a estabilidade que os discursos que se fazem no dia-a-dia nas televisões”, acrescentou.

O cheque entregue esta quinta-feira à corporação visa já o pagamento integral do subsídio previsto para 2019. Uma novidade face a anos anteriores, no qual o apoio do Município era entregue em dois momentos distintos.

Almeida Henriques adiantou aos jornalistas que o apoio anual global do Município à Associação Humanitária já é superior a 125 mil euros, pois compreende ainda a isenção de taxas, a receita do dia solidário na Feira de São Mateus e o pagamento da Equipa de Intervenção Permanente da corporação.