Campanha das Águas de Viseu que regularizou milhares de situações chegou ao fim

O Presidente da Câmara tem assegurado o esforço que está a ser feito pelas Águas de Viseu no combate às ligações clandestinas. Almeida Henriques reconhece que esta política iniciada em 2014 “é um ato de boa gestão, de justiça social e de defesa da saúde pública e do meio ambiente”.

Terminou agora o prazo para regularização de ligações às redes públicas de abastecimento de água e de saneamento. Assim o município inicia uma campanha de forma a detetar ligações clandestinas que continuem ativas. “Só assim é possível proteger a saúde pública e o meio-ambiente e garantindo a viabilidade a baixo preço da Águas de Viseu”.

Esta ação começou com a notificação de oito proprietários num processo de contraordenação, por uso indevido dos sistemas públicos de água e saneamento. Punível com coima de 1.500€ a 3.740€ no caso de pessoas singulares e de 7.500€ a 44.890€ no caso de pessoas coletivas. E as Águas de Viseu continuarão a identificar estes casos no sentido em que sejam regularizados.

Importa lembrar que esta operação resultou num aumento superior a 5500 clientes, ultrapassando agora os 47.000. “O sucesso desta campanha representou mais um importante passo em frente na sustentabilidade do concelho não só ao nível da proteção ambiental, mas também da própria sustentabilidade dos recursos.”

Em todos os sentidos, terá que ser aplicado o princípio utilizador/pagador. E para os munícipes que não conseguirem suportar estes custos há mecanismos próprios, estabelecidos pela Câmara Municipal para ultrapassar a situação. O encaixe financeiro obtido com o aumento de clientes acaba por suportar a redução da tarifa nas famílias carenciadas e famílias numerosas.

O autarca lembrou que “esta política social e de qualidade são fruto de uma boa gestão. Não é possível praticar um tarifário social nem realizar investimentos como este em que estamos sem uma gestão rigorosa e eficiente.”ampanha das Águas de Viseu que regularizou milhares de situações chegou ao fim