CÁRITAS AJUDA MOÇAMBIQUE

Cáritas Portuguesa angaria 347.618,30€ euros e mantém apoio no terreno


“Nós tivemos muito medo mesmo. Vimos muitas pessoas que se afogaram e muitas casas a serem levadas pelas inundações. As nossas colheitas foram todas destruídas. Conseguimos salvar um pequeno cacho de bananas e temos vindo a geri-lo para que dure o maior tempo possível. Vimos aqui à escola para conseguirmos uma porção de arroz ou feijão para toda a família.” (Juan Carlos, 45 anos)

 

Juan Carlos, tem 45 anos, é agricultor e perdeu todas as suas colheitas com as quais garantia o sustento da sua família. Como este são muitos os relatos que a equipa da Cáritas em Moçambique recolhe diariamente junto dos que conseguiram sobreviver ao Ciclone Idai, que há cerca de um mês, destruiu a região central de Moçambique.

 

A Cáritas Portuguesa respondeu, de imediato, ao apelo lançado pela Cáritas Moçambicana a todas as suas congéneres. Através da campanha “Cáritas Ajuda Moçambique”, foi possível angariar um total de 347.618,30€. Esta verba está, assim, inserida no Plano de Resposta de Emergência da Caritas Internationalis que coordena toda ação da rede internacional Cáritas em Moçambique.

 

Este plano prevê um apoio direto a 27 500 pessoas, com um orçamento global de 1,9 mil euros, a ser aplicado até junho de 2019, nas Dioceses da Beira (Sofala), Chimoio (Manica) e Quelimane (Zambezia). Esta resposta da rede internacional Cáritas, tem como prioridade assegurar o acesso à alimentação, saúde, higiene e abrigo.

 

“Para a Cáritas Portuguesa nada mais fazia sentido do que estar na linha da frente desta ajuda humanitária. Estamos confiantes no trabalho que encetamos com o apoio da rede internacional e que nos permite ir mais longe na ajuda às pessoas que perderam tudo. Foram muitos os que confiaram em nós, de forma individual, através de empresas ou com as suas comunidades paroquiais. A todos queremos deixar o nosso agradecimento, mas também a garantia de que estaremos com a população afetada não apenas neste momento de maior sofrimento, mas, sobretudo, daqui para a frente a restaurar a esperança e disponíveis, no âmbito daquilo que estiver ao nosso alcance naquilo que a Cáritas Moçambicana precisar de nós.”  Eugénio Fonseca, presidente da Cáritas Portuguesa

 

 

 

 

 


RESPOSTA DA REDE INTERNACIONAL CÁRITAS

 

A rede internacional Cáritas, onde se inclui a Cáritas Portuguesa, está a acompanhar e a apoiar a Cáritas Moçambicana, em articulação com as entidades que são responsáveis pela coordenação da resposta de emergência criada pelo Governo Moçambicano e pelas Nações Unidas. Na reunião do Grupo de Abrigo da ONU na Beira, a Cáritas foi elogiada pela qualidade e volume das suas distribuições. Até ao momento, 1.650 famílias receberam lonas e puderam assim ter um mínimo de proteção para as suas famílias.

 

Em Portugal a nossa operacionalização será também articulada com o Camões Instituto da Cooperação e da Língua.

 

Distribuição Alimentar

 

Beira – Até à data, a Cáritas forneceu ajuda alimentar a mais de 4.550 pessoas e abrigo de emergência a 2.124 famílias, principalmente na Cidade de Beira e no Distrito de Nhamatand;

 

O CRS (Cáritas Estados Unidos da América), recebeu 8.000 lonas adicionais e está a planear distribuições em Chibavava e Nhamatanda, na Arquidiocese de Beira e em outras dioceses. Nestes dias, 2.500 lonas já saíram da Beira e estão a caminho de Quelimane.

 

Quelimane – A Cáritas iniciou o processo de ajuda a 4.985 pessoas através do fornecimento de lonas, corda, kits de higiene e cozinha no Distrito de Mopeia.


Chimoio
– No Chimoio, a ajuda alimentar foi inicialmente fornecida a mais de 700 famílias na Missão Católica em Dombe e Nhamissisua. A Cáritas está a fornecer lonas em duas áreas de reassentamento designadas pelo governo local. Nesta fase, alimentos, kits de cozinha, outros itens não alimentares e sementes também serão distribuídos a pelo menos 300 famílias.

 

“Para nós, Cáritas Moçambicana, foi fundamental a resposta que as rede internacional nos deu e a forma imediata como todos vieram em nosso auxílio. Sem este apoio não poderíamos estar a responder com eficácia às necessidades do nosso povo. Deixamos um agradecimento particular à Cáritas irmã, em Portugal, que foi a primeira a manifestar o seu apoio e com quem estamos em relação de grande proximidade!” Santos Gotine, Secretário Geral da Cáritas Moçambicana