Cristina Rodrigues leva “O Sudário” ao Museu Naves Matadero em Madrid

Depois de ter corrido o mundo a peça que criou a partir das tradições de Várzea de Calde, a artista Cristina Rodrigues expõe “O Sudário em Madrid”. A inauguração é amanhã, dia 20 de dezembro, e conta com a presença do Vereador da Cultura, Jorge Sobrado.

A peça cruza a narrativa e a interpretação artística de assinatura tem por base as tradições e a história de trabalhar o linho. A arquiteta e artista viseense esteve na aldeia beirã a aprender e a receber ajuda das mulheres que ainda hoje trabalham o linho de forma ancestral, na aldeia do país que tem o processo de linho desde a terra ao formato têxtil.

O trabalho, todo feito de forma artesanal, está até 14 de janeiro na capital espanhola. O ano passado foi esta obra que garantiu a Portugal a participação na Bienal de Arte de Colombo, no Sri Lanka.

A artista que “já há algum tempo desejava trabalhar com Viseu por se tratar do mais importante núcleo nacional de produção e transformação artesanal de linho”, teve o apoio do Município de Viseu. Garante que nas duas peças de linho que apresenta “a traça das artesãs ficou gravada”, inspiradas no Sudário de Turim. A peça de linho que cobriu o corpo de Jesus Cristo.

Almeida Henriques, Presidente da Câmara de Viseu, disse antes da primeira internacionalização da peça que “o objetivo desta parceria vai para além da arte: é criar um grande ecrã para o linho de Várzea de Calde no mundo e animar esta tradição económica”. “Este projeto reveste-se de um especial significado na valorização de um produto artesanal e histórico de excelência de Viseu, que é o linho”.
Ana Pimentel