E NINGUÉM VAI PRESO? Por Celso Neto

Voltou o flagelo dos incêndios florestais…

Cada “corporação” luta desesperadamente pela sua “dama” num palco de ameaças, medos e chantagens, aparentemente com o exclusivo intuito de garantir o “carcanhol” que permita alimentar o “regabofe”. Não me parece que a proteção e segurança das pessoas desempenhe nestas discussões o papel principal, pois o estado caótico do nosso ordenamento florestal demonstra bem o “vírus” que  “germina” na mente dessa cambada de incompetentes (sem exceção) que preside às Instituições que têm a seu cargo a nossa segurança, relativamente aos incêndios florestais.

No que à prevenção diz respeito, o Inverno continua a ser período de descanso e férias para o Governo, a Proteção Civil, os Bombeiros, as Câmaras Municipais e Juntas de Freguesia. Todos continuam a fazer vista grossa à Lei, não a cumprindo nem a fazendo cumprir, numa séria ameaça à nossa segurança individual e coletiva.

Com pequenas melhorias aqui e acolá, o desassossego das populações mantem-se. São demasiados interesses de uma “cadeia” ligada por elos (diria) cada vez mais fortes…

Basta olhar para as faixas de segurança, que a lei contempla, das estradas nacionais e municipais para avaliar o desleixo do poder central e local. É uma autêntica vergonha, um total desrespeito, depois da tragédia tão recente ainda, mas que parece que já se apagou da mente desta canalhada…

Com uma impunidade que me deixa boquiaberto, Marta Soares continua de barriga empinada, numa grosseria que compromete o bom nome dos Bombeiros Portugueses. (Só fala assim quem sabe “demais”)

A minha pergunta é simples: – E ninguém vai preso?