Estreia do espetáculo “Engolir Sapos”

O espectáculo irá estrear no Teatro Viriato, em Viseu, a 15 de Março (sexta-feira, 21h30), e terá récitas subsequentes a 16 de Março (sábado, 21h30), também no Teatro Viriato, e a 23 de Março (sábado, 22h00), no Centro de Arte de Ovar.

“Engolir Sapos” é uma reflexão artística sobre preconceitos e sapos de loiça. 

Em Portugal, existem entre 40 e 60 mil ciganos, uma minoria entres as maiorias. Em Portugal, existem entre centenas e milhares de sapos de loiça em estabelecimentos comerciais, uma minoria entre as maiorias dos produtos expostos. Os sapos existem para decorar. E para afastar. Ciganos.

Quem somos nós que expomos sapos, quem somos nós que tememos sapos, quem somos nós? 

Em palco estarão Pai e Filha.

“Engolir Sapos” é uma co-produção Amarelo Silvestre e Teatro Viriato, Centro de Arte de Ovar e Teatro Municipal do Porto. 

Ficha artística e técnica

“Engolir Sapos”

Encenação Rafaela Santos

Dramaturgia Fernando Giestas 

Interpretação Amélia Giestas e Ricardo Vaz Trindade 

Música Ricardo Baptista

Desenho de Luz Jorge Ribeiro

Cenografia e Figurinos Henrique Ralheta

Apoio ao Movimento Leonor Barata

Apoio à Dramaturgia Jorge Palinhos

Assistente de Cenografia Carolina Reis 

Registo Vídeo Eva Ângelo

Imagem do Projecto  Rosário Pinheiro  

Produção Executiva Susana Rocha 

Gestão Administrativa Paula Trepado

Criação Amarelo Silvestre

Co-produção Amarelo Silvestre, Teatro Viriato, Centro de Arte de Ovar e Teatro Municipal do Porto

Residências Artísticas Teatro Viriato, As Casas do Visconde, Centro de Arte de Ovar, Citemor, Projecto 23 Milhas e ZDB

Parcerias Olho Vivo/Viseu e As Casas do Visconde

Apoio República Portuguesa – Cultura/Direção-Geral das Artes

Imagem : Rosário Pinheiro