Expodemo’19 promove 1º Festival de Estátuas Vivas. Visitantes elegerão a estátua favorita, atribuindo o “Prémio do Público”

Ao todo serão 12 artistas de rua para 10 performances de imobilidade expressiva. Entre os artistas há recordistas do mundo e premiados nacional e internacionalmente. E há ainda um que esteve nove anos no Guiness Book of Records. Todos eles vão estar presentes na Expodemo, em Moimenta da Beira, no 1º Festival de Estátuas Vivas, evento em que os visitantes vão poder escolher (através de voto) a sua estátua favorita, entre as 10, atribuindo assim o “Prémio do Público”. Haverá sessões diárias a 14 e 15 de setembro, no recinto do certame.

As 10 performances feitas por 12 artistas:

– “Napoleão Bonaparte”, por António Moreira;

– “A Varina”, por Helena Reis;

– “Beija-Mão Real”, por Carlos Ferreira e Andreia Silva;

– “Porcelana”, por Ana Torrie;

– “Flautista de Hamelin”, por Samuel Ornelas;

– “Cantor Romântico”, por Guilherme Ferreira;

– “Desilusão”, por António Santos;

– “Amália, a Alma do Fado”, por Susana Costa;

– “O Puto”, por José Costa;

– “A Lenda da Fonte”, por Cátia Ferreira e Vítor Hugo Almeida

Os currículos abreviados de cada um dos artistas:

 

Cátia Ferreira e Vítor Hugo Almeida (Strapafourd)

Os Strapafourd fundados pelo casal Cátia Ferreira e Vitor Hugo Almeida surgiram em 2011 e desde então têm-se vindo a afirmar no mundo das Estátuas Vivas. Para além de artistas ambos trabalham nas áreas da saúde e bem-estar e na dinamização do projeto “Orgânica.Mente” do qual são também fundadores. Ela é nutricionista, terapeuta e instrutora de Yoga, ele é terapeuta manual e dedica-se à permacultura. Conhecidos por criações surpreendentes, em dupla, somam inúmeras participações em festivais nacionais e internacionais com criações originais e únicas. Premiados nacional e internacionalmente com Prémios de Público e de Júri em quase todos os festivais por onde passaram. Atualmente contam também com a colaboração de artistas convidados para a representação das suas obras. No 1º Festival de Estátuas Vivas de Moimenta assumem a produção/direção e o papel de Estátua Anfitriã na continuação de uma parceria muito especial com a Câmara Municipal de Moimenta da Beira.

Carlos Ferreira

É natural de Castelo de Paiva, 32 anos, e muito cedo demonstrou interesse e paixão pelas artes. Em 2007 iniciou o seu percurso na arte da quietude com a primeira estátua viva. Desde então Carlos Ferreira tem inovado formas e técnicas de execução plástica, o que lhe tem garantido o destaque em vários festivais nacionais e internacionais, sendo reconhecido pelo mérito e valor da sua obra. A nível nacional mantem participação em concursos de renome nas cidades de Espinho, Tomar, Sintra, Torres Vedras, Lagoa e Vila Real. A partir de 2011 começou a trilhar caminho além-fronteiras, expondo a sua arte na Bélgica, Singapura, Israel, Espanha, Macedónia, Roménia e Holanda. Paralelamente à arte da quietude, Carlos Ferreira é também professor de desenho e pintura.

Andreia Silva

Natural de Canedo, Santa Maria da Feira, Andreia Silva tem 30 anos e desde 2015 que o mundo das estátuas vivas faz também parte do seu mundo. Como atividade principal é Técnica de Qualidade, no entanto divide o seu tempo por entre festivais nacionais e internacionais de Estátuas Vivas. Ingressa no grupo de Estátuas Vivas de Carlos Ferreira (Carlos Ferreira – Living Statues) representando estátuas de dupla ou individuais. O gosto pelas artes performativas faz com que tenha sempre vontade de participar em novos festivais e viajar para diferentes cidades e países.

António Moreira

Tem 47 anos e é natural de Castelo de Paiva. António Moreira apaixona-se pela arte da quietude logo na primeira experiência. Profissionalmente tem como atividade principal o INEM assumindo funções como Técnico de Emergência Hospitalar. Ingressa a convite de Carlos Ferreira o grupo Carlos Ferreira-Living Statues desde 2017 sendo sempre requisitado para participações em festivais nacionais e internacionais. Para além da quietude António realça a importância do movimento com uma entrega total à fiel representação do seu personagem e à interação com o público.

António Santos

Aka Staticman é António Santos, natural de Pisões, Leiria, estátua viva desde 1987. Tem 5 recordes do mundo e 9 anos no Guinness Book of Records. Criador de mais de 500 personagens. Já atuou nos 5 continentes. Articultor e filho de camponeses analfabetos de letras mas doutores de outros saberes.

Helena Reis

É estátua viva desde 1999. Helena Reis descobre, nesta arte, o encontro das artes plásticas e das artes performativas, ambas de sua formação e paixão. Ao longo destes 20 anos foram-lhe atribuídos vários prémios nacionais e internacionais, entre os quais o título World Champion 2012, no World Statues Festival, na Holanda.

José Costa

Tem 33 anos, natural da Trofa, participa pela primeira vez num festival de estátuas vivas estátuas vivas em 2013. Desde então José Costa tem vindo a participar em vários festivais nacionais e internacionais individualmente, em dupla com Susana Costa ou em colaboração com os Strapafourd representando algumas das suas criações. José dedica grande parte do tempo ao seu projeto de Agricultura Biológica mas reserva sempre tempo para as artes e a música. Fascina-o as criações com estruturas de ilusão ótica e equilíbrio.

Susana Costa

É natura de Sintra, 29 anos. Susana Costa descobre as estátuas vivas em 2016 participando numa Mostra de Estátuas Vivas a convite dos Strapafourd. Desde então participa em festivais nacionais e internacionais individualmente, em dupla com José Costa ou a convite strapafourd representando diversas criações. Vê na arte da quietude uma forma de expressão e ativismo.

Ana Torrie

Performer de estátua viva desde há mais de uma dezena de anos, Ana Torrie tem formação em Artes Plásticas – Escultura, pela Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto. As suas performances são todas da sua autoria. Ana Torrie tem participado em vários eventos a nível nacional e internacional, tendo-lhe sido atribuídos vários prémios pelo seu trabalho ao longo destes anos. Boneca de porcelana já viajou para imensos festivais nacionais e internacionais.

Samuel Ornelas

É artista plástico, mestre em pintura pela Universidade de Belas Artes do Porto. Durante o seu percurso, Samuel Ornelas participou de concursos e festivais nacionais e no estrangeiro como performer, intervenções artísticas, criação de cenários e personagens. O Flautista de Hamellin, personagem premiado, já viajou por vários países.

 

Guilherme Ferreira

Estátua Viva desde os 17 anos de idade. É esta a única profissão de Guilherme Ferreira. Amante de todos os aspetos desta arte, desde a criação plástica à multiplicidade das variantes interpretativas de cada personagem. Atualmente faz atuações de rua, participa em vários encontros nacionais e internacionais e é produtor de um encontro de estátuas vivas.

A Expodemo, que este ano se estreia como um “ecoevento”, arranca a 13 de setembro e encerra dois dias depois. O certame é uma feira de negócios e de cultura, de sentidos e emoções, é a Festa da Maçã, fruto da terra, das raízes e da Luz, que se assume hoje como um relevantíssimo cartaz turístico e cultural de Moimenta da Beira, coração da maçã. Estima-se que 40 mil pessoas possam visitar o recinto durante os três dias, recinto com cerca de oito mil metros quadrados de área, todo ele em redor dos Paços do Município, no miolo mais urbano e representativo da vila de Moimenta da Beira. O espaço vai acolher 160 expositores, quatro palcos, várias áreas comerciais e institucionais e outras zonas de lazer e conforto.