Festival Especial: Uma década a celebrar o talento das crianças e jovens portadores de deficiência

No próximo dia 26 de maio, vai ter lugar a 10ª edição do Festival Especial, mostrando mais uma vez que na diferença, todo o Homem tem dons.

Crianças e jovens especiais, pelo seu físico e psicológico, são novamente os protagonistas deste espetáculo único, mostrando o seu enorme talento e valor à comunidade no palco do Cineteatro da Casa Municipal da Cultura de Seia.

O espetáculo promete aquecer o coração do público com representações dramáticas e momentos musicais singulares, protagonizados por crianças e adultos da Casa de Santa Isabel, do Centro de Atividades Ocupacionais (CAO) da Casa do Povo de Seia e da Fundação Aurora Borges e ainda, por crianças autistas e portadoras de deficiência das unidades de ensino estruturado do concelho.

O Festival este ano conta ainda com a participação especial da Banda APPDA Lisboa, a primeira organização portuguesa dedicada ao autismo.

O Festival Especial é organizado pelo Município de Seia e nasceu da vontade e determinação em mostrar ao público o resultado das sessões de musicoterapia promovidas pela autarquia. Estas têm revelado evoluções inegáveis na cumplicidade, interação e comunicação das crianças e jovens. Assim, criaram-se alicerces para mostrar ao mundo que a diferença não importa, revelando que não há pessoas mais empenhadas e sinceras no que fazem.

Conferência de Terapias Expressivas

Paralelamente ao festival, o Município de Seia em parceria com a Associação de Musicoterapeutas MUTEpt promove no dia anterior (25 de maio), também na Casa Municipal da Cultura, a 2ª edição da Conferência de Terapias Expressivas em Seia.

Subordinada ao tema “Diferentes Contextos das Terapias Expressivas”, a conferência pretende ser um ponto de encontro e de partilha de experiências entre musicoterapeutas, visando reforçar a divulgação da Musicoterapia e de outras Terapias Expressivas nos diferentes contextos de intervenção associados às diferentes fases do ciclo de vida.

O programa inicia com uma intervenção de Paulo Jacob, sobre “Processos de mudança na intervenção musical em pessoas com deficiência: Interseções musicoterapia/educação”. Ainda durante manhã, Lucília Valente apresenta o tema “Dramaterapia: contributos na formação pessoal e na intervenção socioeducativa”, Ana Dora Borges faz uma intervenção sobre Dança Inclusiva e Bert Brinke fala sobre Arte Social.

Durante a tarde realizam-se workshops sobre Arteterapia, com Irene Monteiro; Dança, Movimento e Terapia, com Anita Costa; Dramaterapia e inclusão: Dinâmicas Integrativas, com Lucília Valente e Adelina Peixoto; e Método Ronnie Gardiner, com Sara Figueiredo.