FILANDORRA ESTREIA “AMOR DE DOM PERLIMPLIM COM BELISA EM SEU JARDIM” DE LORCA NO TEATRO RIBEIRO CONCEIÇÃO – LAMEGO

A Filandorra – Teatro do Nordeste vai estrear aquela que é a sua 70ª produção, a primeira em Residência Artística no Teatro Ribeiro Conceição – Lamego, Amor de Dom Perlimplim com Belisa em seu Jardim da autoria do grande dramaturgo espanhol, Federico Garcia Lorca, no próximo dia 21 de Junho, dia do Solstício de Verão.

Com encenação de David Carvalho, Amor de Dom Perlimplim com Belisa em seu Jardim é um hino ao Amor que Lorca construiu “a partir de memórias quase infantis das aleluias”, espectáculos populares do século XIX. Se no início se assemelha a uma comédia ao gosto popular, transforma-se progressivamente numa tragédia, quer no conteúdo quer na forma, para tratar um tema simples e popular, através de uma forma poética que requer do espectador muita sensibilidade e disponibilidade já que o tema é mais sugerido do que representado. Trata-se de uma das mais belas histórias da literatura dramática espanhola, que Lorca descreveu como “”una obra de teatro grotesco, aleluya erótica, tragedia grotesca, obra tremenda, versión ligera, una cosita ligera en un acto. Es teatro de monigotes humanos que empieza en burla y acaba en trágico”.

Com tradução de Eugénio de Andrade, poeta do sal na língua portuguesa, Amor de Dom Perlimplim com Belisa em seu Jardimconta a história de um velho aristocrata de alma pura e desconhecedor do mundo das mulheres, Dom Perlimplim, que é levado por Marcolfa, sua governanta, a casar-se com a jovem e atraente Belisa, que por interesse e influência de sua mãe, aceita o enlace. Completamente apaixonado e incapaz de consumar o casamento, Dom Perlimplim descobre as infidelidades de Belisa e para a conquistar concebe um plano que envolve todas as personagens e revela ao público um final surpreendente. Toda a ação decorre num ambiente de mistério que leva o espectador ora a um mundo de magia, ora à realidade nua e crua, e o que tinha de acontecer acontece…

A proposta cénica do espetáculo, que inicia em pleno centro histórico de Lamego, mais propriamente na praça frontal do Teatro Ribeiro Conceição, envolve o público num prólogo em que atores/duendes, figuras do imaginário lorquiano, cantam e dançam transportando os espectadores para a escadaria e varandas da frontaria do Teatro e de forma lúdica e histriónica “invadem” o espaço interior e instalam-se pelos camarotes, plateia, frisas e balcões. Nesta encenação, a enigmática sala à italiana do TRC é explorada na sua totalidade através de jogos cénicos a partir do sub-palco, utilização da “sumptuosa” escada de ferro em caracol e a complexidade da “teia” e alçados direito e esquerdo, pondo a nu toda a caixa negra de palco, culminando o espetáculo com o cerimonial fúnebre/elegia da libertação da figura do velho Perlimplim que desaparece envolto numa “coroa de flores como o sol do meio-dia”.

                Esta produção conta com assistência de encenação de Bibiana Mota, as interpretações de Bruno Pizarro, Débora Ribeiro, Helena Vital Leitão, Anita Pizarro, Silvano Magalhães, Sofia Duarte, Rui Moura, Vera Machado e Inês Gonçalves e na técnica com Pedro Carlos (Som) e Carlos Carvalho (Luz). Esta produção conta ainda com a cooperação dos técnicos do TRC Mário Albuquerque, Pedro Gonçalves, Rogério Marinho e Luís Oliveira.

Depois de cinco anos de ausência de apoios por parte da tutela nos vários concursos, Amor de Dom Perlimplim com Belisa em seu Jardim é a primeira produção da Filandorra que conta com o apoio da DGartes/ Ministério da Cultura no âmbito do Programa de Apoio Sustentado | Teatro, e do Município de Lamego a partir da parceria estabelecida este ano com o objetivo de afirmar o TRC como centro dinamizador e promotor do teatro na região.