Grupo de Missão

A AIRV dá nota da constituição de um Grupo de Missão para apoio à recuperação das empresas afetadas pelos incêndios na região.
Este Grupo de Missão surge a partir da AIRV – Associação Empresarial da Região de Viseu, resultando da feliz coincidência de um apelo efetuado pelo Sr. Primeiro Ministro, António Costa, com a iniciativa espontânea e voluntária de um movimento de pessoas, com experiência de assessoria e competências diversas, que se predispuseram perante a AIRV, a apoiar pro bono os empresários afetados pela tragédia dos incêndios de 15 e 16 de outubro de 2017.
O Grupo de Missão, tem como grande objetivo apoiar as empresas afetadas, sobretudo as micro e pequenas unidades. O âmbito territorial de atuação são os concelhos de Carregal do Sal, Gouveia, Mangualde, Mortágua, Nelas, Oliveira de Frades, Oliveira do Hospital, Santa Comba Dão, São Pedro do Sul, Seia, Tábua, Tondela, Viseu e Vouzela.
Todos os setores de atividade serão contemplados e, como tal, está a ser estabelecida com organismos públicos das mais diversas áreas e o Grupo de Missão, uma conjugação de esforços, falamos desde a área florestal e agrícola, pela componente industrial, avícola, agroalimentar, resumindo micro e pequenos negócios.
O Grupo de Missão já está no terreno, com uma equipa com competências multidisciplinares (Jurídico, Contabilístico, Financeiro, Engenharia, Seguros e Marketing e Comunicação).
As áreas de intervenção serão todas aquelas em que antecipamos, existirem necessidades, tais como:
a) Desencadear os mecanismos legais para suspensão da atividade durante a fase de reconstrução;
b) Facultar informação, contactos e assegurar linhas de comunicação dedicadas para apoio aos trabalhadores que estão em risco de perder os postos de trabalho, junto da Segurança Social e do IEFP;
c) Organizar as atividades com as companhias de seguro para levantamento dos danos e obtenção das respetivas compensações;
d) Obtenção de financiamento para apoio de tesouraria junto das instituições financeiras;
e) Renegociação das dívidas e das obrigações contratuais;
f) Divulgação e acesso aos instrumentos que o Governo, Municípios, CCDR-C, Segurança Social e diretamente a UE vão disponibilizar para a reconstrução e reativação empresarial;
h) Criar movimento de comunicação nas redes sociais, devidamente dinamizada, para recolha de outros apoios (físicos, financeiros, materiais e humanos) para os empresários, com eventual recurso a crowdfunding.
A partir desta data, estaremos em condições para em termos operacionais, apoiar diretamente as empresas a darem passos mais sustentados, com vista à reativação dos seus negócios e, sobretudo, resolver os problemas de curto prazo.
Carlos Marta reforçou, que todo este apoio e trabalho é, e será desenvolvido, de forma gratuita!!!
De uma forma mais prática, iremos a partir de hoje iniciar os contactos de proximidade com as diversas organizações, com vista a fazer chegar este apoio ao tecido empresarial e, de imediato aos empresários que pretendam saber mais ou dar-nos conta das suas necessidades. Podem desde já usar o seguinte e-mail:
recuperar2017@airv.pt ou aceder via telefone pelo número direto 232 470 115, disponível entre as 9h e 20h, a partir de amanhã dia 7 de novembro.
Também os candidatos a voluntários, quer para apoio administrativo quer especializado, podem enviar as suas disponibilidades para:
• email: recuperar2017@airv.pt
• Facebook-Recuperar 2017
• www.airvrecuperar2017.pt
Por último, importa reforçar que a AIRV está empenhadíssima na concretização desta missão, agradecendo e enaltecendo o surgimento deste movimento voluntário e genuíno. Por ser a única iniciativa deste género que conhecemos no país e, por surgir neste contexto dramático, tem de ser especialmente acarinhada, pelo que serão disponibilizados todos os meios físicos e humanos para que este resulte num reforço do nosso tecido empresarial e na afirmação do interior do país, pelas suas gentes e empresários empreendedores, resilientes e dinâmicos.