Inaldo

 

Inaldo é um dos jogadores que marca a história do Académico de Viseu e do próprio desporto na região. Brasileiro de nacionalidade, foi ídolo dos viseenses.

Jogador único! O seu forte remate ainda hoje é, quase, inigualável. O Académico na 1.ª Divisão Nacional, época de 1980/81, tinha neste atleta uma referência que remonta a um determinado jogo com o Benfica em Fontelo, que teve de ser interrompido devido ao mau tempo. Ainda hoje está na memória de todos, e eram muitos que enchiam o estádio, aquele golaço que Inaldo marcou a Bento (guarda-redes benfiquista), chutando praticamente do meio campo.

Foram muitos os golos marcados do “meio da rua” por este jogador, tal era a força do seu remate. Cantos e livres eram vividos como quase uma “bomba” prestes a estoirar. Viseu não esquece!

Vem esta memória a propósito do momento terrível pelo qual passa Inaldo. A doença da diabetes obrigou à amputação das duas pernas. Aquelas pernas mágicas que faziam remates indefensáveis. Um grupo de viseenses que com ele conviveram está a mobilizar-se numa angariação de fundos que permita a compra das duas próteses dos membros inferiores.

Que pode fazer para contribuir? É muito simples: basta adquirir cadernetas, ao preço de 2€ cada, que vão estar à venda em cafés, associações e instituições que se disponibilizaram para ajudar.

Porque o desporto une as pessoas como poucas outras atividades conseguem unir, a campanha em curso vai ser acarinhada por todos e vamos retribuir a Inaldo a alegria com que nos brindou tantas e tantas vezes no passado. É a nossa vez de rematar do “meio da rua” para lhe enviar com toda a força a bola da solidariedade, do reconhecimento e da gratidão. Vamos dar-lhe uma nova esperança, para que se possa movimentar com autonomia e com a dignidade que merece.

O desporto não esquece seus ídolos. Não pode esquecer!

Quem não tem memória, não tem presente, nem futuro.

Vitor Santos

Embaixador para a Ética no Desporto