Obras de reabilitação da Escola Grão Vasco inauguradas

Presidente da Câmara Municipal mostrou-se “emocionado” por ajudar a concretizar um sonho antigo, no preciso dia em que o estabelecimento de ensino festejou o 50.º aniversário. E explicou porque não convidou nenhum membro do Governo para a inauguração

O Presidente da Câmara Municipal, Almeida Henriques, mostrou-se emocionado na cerimónia de inauguração das obras de reabilitação da Escola Básica Grão Vasco, que decorreu esta sexta-feira, no exato dia em que o estabelecimento de ensino assinalou o 50.º aniversário.

Ao intervir na sessão, repleta de antigos e atuais alunos, professores e funcionários, Almeida Henriques recordou o longo período de reivindicação de novas instalações por parte de toda a comunidade, e no qual participou ao longo dos últimos 15 anos, enquanto desempenhou cargos governativos.

“Estava longe de pensar que depois de ter acompanhado e me ter empenhado durante tanto tempo na reabilitação desta escola, estaria aqui a reinaugurá-la na qualidade de Presidente da Câmara”, relembrou, sublinhando que assim “vale a pena o esforço que colocamos no dia-a-dia nas nossas funções”. Por isso, “este é daqueles momentos que nos emocionam”.

No plano pessoal, Almeida Henriques transmitiu ainda o agrado por regressar a uma escola que frequentou enquanto aluno. “Quando olhamos para estas pessoas, amigos e colegas da altura, veio-me à memória um conjunto de momentos que vivi aqui. E um deles precisamente a manhã do 25 de Abril de 1974”, recordou.

Apesar de feliz e emocionado com este desfecho, o Presidente da Câmara não escondeu a “mágoa” pelo facto de o Estado Central não ter cumprido o que acordou com a Câmara de Viseu. E assim justificou o facto de não ter convidado nenhum membro do Governo para a inauguração.

“Enviei vários ofícios ao Ministro da Educação e é com mágoa que digo que não tive resposta. Não tivemos aquilo a que tínhamos direito. Tinha ficado bem ao Estado Central honrar o que foi acordado, ou seja, pagar parte da contrapartida nacional”, lamentou.

A reabilitação da Escola Grão Vasco, sede do agrupamento com o mesmo nome, custou cerca de 1,3 milhões de euros. E como nunca está tudo feito, Almeida Henriques prometeu ajuda na reabilitação do polidesportivo do estabelecimento de ensino.

A terminar, o autarca lembrou que esta “é uma escola que forma cidadãos há 50 anos e tem cumprido bem a sua missão”. A par disso, “tem sabido responder à evolução dos tempos”, sendo por isso “uma escola de excelência”.

Inês Campos, Diretora do Agrupamento de Escolas Grão Vasco, destacou o “trabalho de todos” ao longo dos 50 anos de existência da escola, enquanto Arnaldo Pereira, Presidente do Conselho Geral, agradeceu o empenho do Presidente da Câmara na reabilitação que foi levada a cabo e que proporcionou melhores condições a toda a comunidade educativa.