Partido Socialista comemora 5 anos de mandato em almoço com 500 pessoas

Cerca de 500 militantes e simpatizantes compareceram no tradicional almoço de Reis do Partido Socialista de S. Pedro do Sul, que se realizou no passado dia 6 de janeiro no Pavilhão Multiusos de Santa Cruz da Trapa.

“5 anos a cumprir” deu o mote a este convívio que juntou sampedrenses de todas as freguesias do concelho, refletindo o apoio ao Partido Socialista e ao trabalho desenvolvido pelo executivo camarário.

Rui Almeida, Presidente da Comissão Política da Concelhia de S. Pedro do Sul, elogiou os últimos 5 anos do PS à frente dos destinos do Município, deixando uma palavra especial para Vitor Figueiredo: “Outros há que precisam de se autonomear candidatos em 2021! Tu, pelo contrário, serás obrigado pelos munícipes a vir acabar o teu trabalho, sendo candidato em 2021!”

De seguida, Pedro Mouro, Vereador da Câmara Municipal, fez uma apresentação das principais marcas dos 5 anos de mandato com destaque para a redução significativa da dívida em 10 milhões de euros, redução do prazo médio de pagamento a fornecedores, melhoria da economia local, a aposta firme nas redes de águas e saneamento, os grandes investimentos e os apoios aos munícipes na educação, na área social, natalidade, entre outros.

O Presidente da Assembleia Municipal, Vitor Barros, referiu que enquanto entidade fiscalizadora do executivo destaca que a equipa do PS tem cumprido com todos os seus objetivos e planos de uma forma eficiente tendo conseguido equilibrar o orçamento municipal e apresentar obra melhorando a qualidade de vida de todos os sampedrenses.

António Borges, Presidente da Federação do Partido Socialista de Viseu elogiou o trabalho da concelhia do PS de S. Pedro do Sul e do executivo camarário, um exemplo no distrito de Viseu.

O Presidente da Câmara Municipal, Vitor Figueiredo, disse que estava pronto para mais 7 anos numa revolução completa do concelho de S. Pedro do Sul: “Queremos ser cada vez mais atrativos e para além de apostarmos na qualidade de vida dos que cá moram, queremos o regresso dos sampedrenses que daqui saíram, a fixação de jovens e a vinda cada vez mais significativa de turistas aos nossos territórios. A principal marca que deixei nestes 5 anos e que quero deixar nos próximos 7 anos é esta relação de proximidade, de conhecimento do nosso território e de capacidade de trabalho como nunca aconteceu nesta autarquia.”