População do Concelho de Lamego sem Água Potável

O núcleo concelhio de Lamego do Bloco de Esquerda esteve na freguesia da Penajóia, onde conheceu de perto a realidade da população de Sampaio. São mais de duas dezenas de habitantes sem água canalizada. Ao dispor da população apenas existem fontanários públicos. Vimos dois, um com aviso de água não controlada e outro sem qualquer tipo de aviso.

Uma situação que se arrasta há anos, as queixas e manifestações de descontentamento da população na Junta de Freguesia e na Câmara Municipal são várias, como constatamos em conversa com um dos habitantes que ainda no decorrer desta semana se deslocou à junta de freguesia local para perceber se alguma coisa já estaria a ser feita. O mesmo habitante, que sofre lesões diárias na pele após tomar banho com a água que é retirada de um dos fontanários e que fez saber que a população de Sampaio não é a única sem água canalizada, a população vizinha, carece igualmente de água canalizada.

Uma realidade para a qual não se encontra qualquer tipo de justificação. O acesso à água potável segura é um direito humano e consequentemente um direito legal, não um bem ou serviço providenciado a título de caridade. O abastecimento de água para cada pessoa deve ser contínuo e suficiente para o uso pessoal e doméstico.

Por ser um direito humano, basilar de qualquer sociedade e por não se compreender a situação atual da população de Sampaio e não só, o Núcleo Concelhio de Lamego do Bloco de Esquerda, comprometer-se-á a não deixar cair esta situação no esquecimento e a reivindicar os direitos dos habitantes junto dos órgão e entidades competentes.