Presidente da República atribui título de membro honorário da ordem de Mérito ao Teatro Viriato

O presidente da República atribuiu hoje ao Teatro Viriato em Viseu o título de membro honorário da ordem de Mérito, a propósito dos 20 anos que este espaço cultural celebra e após assistir a uma estreia da companhia residente.

“Andam aqui a demonstrar capacidade de resistência num país que tende a concentrar tudo nalguns poucos centros e que nem sempre olha, como deve olhar, para quem está mais longe da vista do dia a dia”, considerou Marcelo Rebelo de Sousa no final da estreia da Companhia Paulo Ribeiro.

“Last” nasce a partir dos últimos quartetos de cordas de Beethoven (“The Late String Quartets”), com a criação artística dos diretores da companhia, São Castro e António Cabrita, que a par do Teatro Viriato também celebra este ano 20 anos.

“Aqui em Viseu não é possível deixar passar este momento sem agradecer a todos os que ao longo destas duas décadas afirmaram a cultura nesta casa. É evidente que a Companhia Paulo Ribeiro, a capacidade de direção e de mobilização de todos, mas todos, os que aqui passaram, os que aqui hoje atuaram e também aqueles que aqui virão a estar”, considerou o Presidente da República.

Neste sentido, considerou que “era justo” associar-se a este aniversário e assinalando o momento de forma simbólica, com a atribuição ao Teatro Viriato do título de membro honorário da ordem do Mérito.

Aos jornalistas, Marcelo Rebelo de Sousa assumiu que gostou do que viu e considerou que “há um mérito excecional” no espetáculo, lembrando que “quem viu o arranque há 20 anos” seria “uma aventura trazer ballet para Viseu”.

“Ter público, entusiasmar o público, ganhar consistência, resistir. Ter meios, e felizmente que eles existem, afirmar a qualidade e hoje viram uma sala cheia com um público muito entusiasmado, porque foi de facto um espetáculo, uma forma muito bonita de celebrar os 20 anos de vida”, considerou Marcelo Rebelo de Sousa.

 

 

Lusa