Requalificação da Vissaium XXI custa 4,9 milhões de euros

 

Executivo Municipal aprovou anteprojeto de requalificação do complexo. Intervenção contempla área de 10 mil metros quadrados

No O anteprojeto de requalificação do complexo que acolhe a Vissaium XXI, onde em tempos funcionou o polo regional de Viseu da Universidade Católica, foi aprovado em reunião do Executivo Municipal.

O valor global de intervenção orça os 4,9 milhões de euros e tem um prazo de execução de ano e meio.

Viseu é já um ponto incontornável no circuito do conhecimento tecnológico. Estamos a criar um ecossistema regional e transfronteiriço de empreendedorismo”, refere o Presidente da Câmara Municipal de Viseu, Almeida Henriques.

Com uma área de 10 mil metros quadrados, a Vissaium XXI vai ter ainda serviços complementares à atividade empresarial, nomeadamente áreas sociais partilhadas, uma escola de cozinha e um jardim de infância. O anteprojeto prevê também a criação de um laboratório colaborativo, vários espaços de incubação e co-work.

Estamos a falar de uma área considerável no centro da cidade e que se transformou num espaço onde, para além da instalação destas empresas tecnológicas que têm chegado a Viseu, quando chegarmos à velocidade cruzeiro, poderemos vir a ter 500 a 600 pessoas a trabalhar”, destaca.

O projeto Vissaium XXI surge no âmbito da estratégia de captação de investimento. “A própria incubadora da Vissaium XXI permitirá fazer uma boa ligação a estas empresas e promover a fixação de start up e de jovens que estejam a desenvolver os seus trabalhos”, acrescenta.

Mais de meio milhão de euros para as freguesias

O Executivo Municipal aprovou ainda esta quinta-feira um conjunto de contratos-programa e protocolos com as Juntas de Freguesia do concelho, num valor de 556 mil euros.

Entre as competências contratadas/protocoladas está a pavimentação de arruamentos, a requalificação de cemitérios e redes de água e saneamento.

Temos levado a cabo nos últimos cinco anos um investimento sem precedentes nas nossas freguesias. São medidas destas que promovem a coesão territorial”, destaca o Presidente da Câmara Municipal, Almeida Henriques.

Os protocolos e contratos-programa abrangem 13 das 25 freguesias do Município.