Requalificação e reabilitação de rios e ribeiros do concelho de Tondela em curso

O Município de Tondela tem em curso uma intervenção que consiste na requalificação e reabilitação de ecossistemas de rios e ribeiros em diferentes pontos do concelho.

Esta intervenção ascende a 180 mil euros, uma verba proveniente do Fundo Ambiental, gerido pela Agência Portuguesa do Ambiente, e que se destina às áreas atingidas pelos incêndios em outubro de 2017.

De acordo com a vice-presidente da Câmara Municipal de Tondela, Carla Antunes esta intervenção nas zonas de bacias e albufeiras arrancou em abril e deverá prolongar-se até ao final de junho.

“Esta intervenção, surge no domínio da regularização fluvial no após incêndio 2017, e reveste-se de primordial importância para a salvaguarda dos ecossistemas ribeirinhos, pretendendo com a mesma repor as condições funcionamento e estabilização da galeria ripícola, mitigando-se desta forma as consequências do incêndio”, explicou.

Os trabalhos estão em curso no Rio Criz junto à zona de Lazer de Várzea do Homem, mas está também prevista a intervenção na zona de Caparrosa /Silvares, no Couço e ainda na Lajeosa do Dão, locais atingidos pelos incêndios de outubro de 2017.

A intervenção consiste em ações de silvicultura (corte de silvas e mato), de forma a que haja regeneração natural das espécies – gramíneas e arbustos, devolvendo vida aos rios, garantindo-se deste modo a sobrevivência da fauna e flora características destes locais.

Encontra-se também englobada nesta intervenção a recuperação dos taludes ribeirinhos da margem dos rios, com a construção de “muros” naturais, recorrendo-se para o efeito á madeira das árvores queimadas pelo incêndio.

Segue-se a parte da plantação de espécies arbóreas, arbustivas e helófitas.

Esta intervenção prevê ainda que seja feita a estacaria de espécies nativas locais (amieiros, salgueiros e sabugueiros) e a parte técnica de engenharia natural: a comunicação de fascinas, aplicação de entrelaçados, aplicação de bio-rolos, fardos de palha que servem como filtros naturais de água, micro açudes e travessões para retenção de sedimentos.

Em curso estão também obras de engenharia civil, que preveem o que sejam levados a cabo desassoreamentos, passagens hidráulicas, pontes, muros de alvenaria junto às linhas de água ou enrocamentos.