Tomada de Posse do Novo Presidente da ESAV

O presidente do Instituto Politécnico de Viseu (IPV), engenheiro Fernando Sebastião, conferiu posse ao novo presidente da Escola Superior Agrária de Viseu (ESAV), doutor António Manuel Cardoso Monteiro, em cerimónia solene realizada no dia 25 de janeiro de 2016, na sala do Conselho Geral dos Serviços Centrais do IPV.
O ato público surge no seguimento da eleição ocorrida em 26 de novembro de 2015 no seio da Assembleia de Representantes da ESAV, e do despacho de homologação de 14 de janeiro do ano em curso, proferido pelo presidente do Politécnico de Viseu.

A cerimónia de tomada de posse, que mandata o doutor António Monteiro, professor adjunto da Escola Superior Agrária de Viseu, para o exercício de gestão para o quadriénio 2016/2020, contou com a presença de inúmeros representantes da comunidade académica da instituição: vice-presidentes e administrador do Instituto, presidentes e representantes dos diversos órgãos de gestão das escolas superiores, membros do Conselho Geral, capelão do IPV, docentes e funcionários.

Após ter dado posse ao novo presidente da Escola Superior Agrária de Viseu, o engenheiro Fernando Sebastião empossou ainda os novos vice-presidentes da ESAV: engenheiro José Manuel Costa e doutora Maria João Lima, ambos professores adjuntos desta escola superior do IPV. O ato de posse surge no seguimento do despacho de nomeação do presidente da ESAV do dia 25 de janeiro do corrente ano, sendo homologado pelo presidente do Instituto na mesma data.

No seu discurso, o doutor António Monteiro começou por agradecer aos presentes “a participação na cerimónia de tomada de posse, um momento que resultou da confiança que a ESAV depositou em mim e que muito me honra”.
O novo responsável máximo da Escola Superior Agrária referiu que “a decisão de apresentar uma candidatura foi muito ponderada, pois sabia que o cargo que iria ocupar apresentaria vários desafios, que não são fáceis, atendendo particularmente ao contexto em que nos encontramos”. Apesar deste cenário, para o doutor António Monteiro “a ESAV, em momentos difíceis, já demonstrou capacidade para os ultrapassar e chegar onde está hoje. Tem um corpo docente na sua grande maioria doutorado, um número de alunos que se tem mantido estável, por volta dos 500 estudantes, em 2015/16 entraram na Escola no 1º ciclo 154 alunos e 229 no total de todos as suas formações. Estes resultados são o esforço de todos, temos que continuar e nunca parar de nos esforçarmos”.
Tempo ainda na sua alocução para uma referência à anterior Presidência da ESAV, da qual foi vice-presidente, e às colegas de órgão, doutora Paula Correia (presidente) e engenheira Helena Esteves Correia (vice-presidente), com as quais “foi uma honra trabalhar ao longo destes 4 anos”, bem como aos professores José Manuel Costa e Maria João Lima a quem agradeceu “terem aceitado o convite para serem vice-presidentes da Escola”.
Um último apontamento no discurso do novo presidente para as linhas programáticas (divididas em quatro grandes eixos: as pessoas, equipamentos e instalações, projeção para o exterior, formações da ESAV), elaboradas “com plena convicção que estas garantem o caminho da continuidade da qualidade e do sucesso que a ESAV tem demonstrado. Com o empenho de todos, e somente agindo em conjunto, partilhando objetivos, ideias e discutindo construtivamente se poderão ultrapassar as eventuais dificuldades e contratempos. Esta é a nossa convicção, contamos com o apoio de todos”.

O presidente do IPV, por seu lado, começou por endossar “uma primeira palavra de felicitações ao novo presidente e aos vice-presidentes, formulando votos dos maiores sucessos ao doutor António Monteiro e à sua equipa para o exercício de gestão para o qual foram mandatados. Uma palavra de agradecimento também à anterior presidente, doutora Paula Correia, e vice-presidente, engenheira Helena Esteves Correia, pelo trabalho realizado”.
No seu discurso, o engenheiro Fernando Sebastião fez ainda alusão à conjuntura em que vivemos e “à necessidade de estabelecer consensos para que consigamos em conjunto superar as dificuldades”. Apontando ao futuro, enfatizou como prioridades “as parcerias com a comunidade envolvente e o reforço da imagem de qualidade que a instituição no seu todo deve prosseguir”.

Perfil do novo presidente da ESAV

O novo presidente da Escola Superior Agrária de Viseu, eleito para um mandato de quatro anos (2016/2020), é professor adjunto desta escola superior do IPV, onde trabalha desde 1997.
Dos cargos de gestão exercidos nesta escola superior do IPV, destaque para as funções exercidas na qualidade de vice-presidente da ESAV (24 de janeiro de 2012 a 25 de janeiro 2016), presidente da Assembleia de Representantes (13 de abril 2007 a 22 de julho de 2009), presidente do Conselho Pedagógico (23 de janeiro de 2009 a 9 de julho de 2012), bem como de diretor do Departamento de Zootecnia, Engenharia Rural e Veterinária, e dos cursos de Engenharia Zootécnica e Enfermagem Veterinária.
Natural de Viseu, com 44 anos, António Monteiro é doutorado em Ciências Agrárias – Ciência Animal, mestre em Produção Animal e licenciado em Engenharia Zootécnica, graus conferidos pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro.

Princípios e linhas orientadoras

Em traços gerais, as bases programáticas de atuação foram divididas em quatro eixos.
O primeiro eixo, “As Pessoas”, visa promover a estabilidade e progressão dos docentes e funcionários, garantir as condições para a qualificação do corpo docente, apoiar as iniciativas de participação em projetos técnico-científicos e o intercâmbio entre instituições internacionais de docentes e não docentes, dinamizar a mobilidade internacional de estudantes, promover a criação do tutor e do mentor do aluno e apoiar as atividades da Associação de Estudantes.
O segundo “Equipamentos e instalações”, pretende desenvolver esforços para a construção do Edifício Central da ESAV, promover a aquisição de equipamento para incremento da qualidade pedagógica e capacidade científica, dinamizar e rentabilizar a quinta, tanto na produção animal como na produção agrícola, desenvolver esforços para a implementação de Hortas Urbanas na Escola e revitalizar o fabrico pedagógico de queijo Serra da Estrela e requeijão.
O terceiro ponto tem como objetivo a “Projeção da instituição para o exterior”, estabelecendo e reforçando contactos com as autarquias, empresas, instituições, associações e outras entidades regionais ou nacionais, com vista à colaboração em projetos, cursos e outras atividades, abrindo as portas da Escola à cidade, à região e ao país. Melhorar a captação de candidatos para os cursos da Escola e aumentar e diversificar os serviços prestados, são outros dos itens prioritários.
O último eixo “Formações da ESAV”, pretende dar continuidade à valorização da qualidade das formações da instituição, garantir as condições necessárias para manutenção dos cursos existentes e fomentar a criação de cursos de curta duração em acordo com os Órgãos da Escola.
Joaquim Amaral