Tondela é membro fundador da Associação Portuguesa de Cidades e Vilas Cerâmicas

O Município de Tondela está entre os 14 municípios que formam o grupo de arranque da Associação Portuguesa de Cidades e Vilas Cerâmicas (AptCC), que tem cerimónia de constituição agendada para o próximo dia 17 de abril.

A escritura pública da Associação Portuguesa, a ser assinada no dia 17 de abril pelas 14 autarquias – que  inicialmente se organizaram para promover e preservar a cerâmica portuguesa – permitirá a Portugal ter assento no Agrupamento Europeu de Cidades Cerâmicas (AeuCC), uma estrutura criada em 2014 com peso institucional junto da Comissão e do Parlamento Europeu e que está a preparar e a desenvolver outros projetos culturais e económicos, patrocinados por várias organizações internacionais, incluindo a UNESCO.

O Município de Tondela fará parte dos órgãos sociais da direção, fazendo-se representar pelo vereador Pedro Adão.

O grupo de arranque da AptCC é formado por Alcobaça, Aveiro, Barcelos, Batalha, Caldas da Rainha, Ílhavo, Mafra, Montemor-o-Novo, Redondo, Reguengos de Monsaraz, Tondela, Viana do Alentejo, Viana do Castelo e Vila Nova de Poiares, tendo a sede sido instalada nas Caldas da Rainha e estando consensualmente definido que, neste primeiro mandato, a presidência da Associação é assumida por Mafra.

AptCC tem como objetivos, entre outros, a defesa, a valorização e a divulgação do património cultural e histórico cerâmico, o intercâmbio de experiências entre os associados, nomeadamente ao nível da conservação do património, a promoção da criação artística e a difusão da cerâmica tradicional e contemporânea, o incentivo de relações de cooperação, para além de intercâmbios com outras cidades cerâmicas a nível nacional e internacional e o incremento de programas de formação, tanto de carácter produtivo como cultural, garantindo a continuidade do sector nas áreas municipais aderentes.

É objetivo também da associação promover a consciencialização de empresários e das comunidades locais para a importância histórica e patrimonial da cerâmica, seja na vertente artesanal como industrial, bem como evidenciar o potencial da sustentabilidade económica e social das cidades e vilas associadas a partir da cerâmica, que passa pela manutenção da tradição aliada à inovação.

Esta é a primeira iniciativa estratégica vinda do território para preservar e promover em Portugal a tradição e a inovação cerâmica, em que o país tem um potencial imenso, uma vez que é, neste momento, o principal produtor na Europa e um dos principais exportadores para todo o mundo.

O programa do Encontro

O dia 16 de abril será dedicado à Assembleia Geral do Agrupamento Europeu das Cidades Cerâmicas, que terá lugar na Sala Diana do Palácio Nacional de Mafra, estando confirmadas as presenças dos representantes das Associações nacionais e de cidades cerâmicas de Itália, França, Espanha, Roménia, Polónia, Alemanha e República Checa.

Os quatro primeiros países são os fundadores do Agrupamento Europeu e os três restantes irão, juntamente com Portugal, fazer parte do primeiro alargamento do AeuCC, para desenvolverem ações comuns de promoção da cerâmica e defender a especificidade da cerâmica europeia no mundo.

Um dos temas que vai estar em discussão em Mafra será a aprovação, pelo Parlamento Europeu e pela Comissão Europeia, de legislação para a atribuição de Indicações Geográficas de Origem para produtos não agrícolas, como a cerâmica tradicional de cada país. Igualmente está em discussão a candidatura da cerâmica europeia a Património Imaterial da Humanidade da UNESCO.

No dia 17 de abril, pelas 11 horas, decorrerá o ato solene da assinatura da Escritura da Associação Portuguesa das Cidades e Vilas cerâmicas (AptCC) no Claustro Sul do Palácio Nacional de Mafra, com a presença formal dos representantes das 14 autarquias portuguesas e dos convidados nacionais e estrangeiros, nomeadamente dos representantes do Agrupamento Europeu e das cidades cerâmicas europeias.

O almoço buffet será constituído por uma mostra gastronómica de todos os concelhos fundadores da AptCC, que reúne comida tradicional das principais regiões do país, a que se seguirá a inauguração da exposição de cerâmica representativa de todos os membros da AptCC, patente na Galilé, no Palácio Nacional de Mafra.

Historial

O processo de criação da AptCC foi lançado no início de janeiro de 2015, numa reunião em Mafra com os municípios interessados, a que se seguiu uma segunda reunião nas Caldas da Rainha, tendo sido concluído a 15 de março do 2016, em Aveiro, o processo de elaboração e discussão dos estatutos da Associação Portuguesa das Cidades e Vilas Cerâmicas (AptCC). Esta Associação tem como membros fundadores os municípios de Alcobaça, Aveiro, Barcelos, Batalha, Caldas da Rainha, Ílhavo, Mafra, Redondo, Reguengos de Monsaraz, Tondela, Torres Vedras, Viana do Alentejo, Viana do Castelo e Vila Nova de Poiares, todos com fortes tradições ou importância económica no campo da cerâmica artesanal, patrimonial ou industrial.

Este processo de elaboração estatutária passou pela aprovação desses documentos fundadores por todos os executivos camarários e assembleias municipais, posteriormente submetidos ao visto do Tribunal de Contas, nos termos da legislação vigente, processo concluído no início de 2018.

Esta iniciativa, que agora se conclui, foi estimulada pela visita do coordenador europeu e simultaneamente italiano das cidades cerâmicas, acompanhado pelo coordenador espanhol, em dezembro de 2014, que executavam uma missão do Agrupamento Europeu de Cooperação Territorial das Cidades Cerâmicas, com vista ao estabelecimento, na maioria dos países europeus, das respetivas associações de cidades cerâmicas.

Presentemente, este Agrupamento – uma estrutura com peso institucional no seio da União Europeia – já agrega associações de cidades cerâmicas de Itália, Espanha, França, Roménia, Alemanha, Polónia, República Checa, contando com mais de uma centena e três dezenas de cidades cerâmicas do continente europeu, havendo já outros países interessados em aderir.

Objetivos da AptCC

O principal objetivo da associação portuguesa, como das suas congéneres, será a defesa, a valorização e a divulgação do património cultural e histórico cerâmico, bem como o intercâmbio de experiências entre os associados, nomeadamente a nível da conservação do património, o estabelecimento de parcerias entre cidades e vilas com vínculos tradicionais à cerâmica, seja do tipo produtivo, cultural ou de qualquer outro âmbito.

Tem ainda por objetivo a promoção da criação artística e a difusão da cerâmica tradicional e contemporânea, bem como o incentivo de relações de cooperação e intercâmbios entre os municípios associados a nível nacional ou na rede europeia.

Entre as iniciativas que pretendem lançar regista-se o alargamento a nível europeu do evento que já se realiza em Itália há vários anos, e que em 2018 decorrerá nos dias 17 e 18 de maio, denominado “Bom Dia Cerâmica”, com atividades, exposições, workshops, dias abertos dos ateliers, etc., em todas as cidades aderentes à rede, com cobertura mediática muito alargada.

Atividades internacionais em que Portugal já participou

Portugal já participou, a convite, na Assembleia Europeia de Faenza da AeuCC em 2016, através da presença nos trabalhos das Caldas da Rainha e Mafra, que assistiram também ao ARGILLÀ – Festival Internacional da Cerâmica e Mostra Mercado, que decorreu na cidade cerâmica italiana de Faenza.

Neste evento cerâmico de âmbito mundial, que teve lugar de 1 a 4 de setembro de 2016 (e que se repete bienalmente, decorrendo este ano de 31 de agosto a 2 de setembro), estiveram, naquela cidade do centro de Itália, mais de cem mil visitantes e um milhar de ceramistas especialmente da Europa, mas também de vários países asiáticos em que a cerâmica tem especial destaque, como o Japão, a China, a Índia e a Coreia do Sul. Só stands de ceramistas com trabalhos à venda ultrapassava as três centenas, entre os quais se podiam encontrar cinco portugueses.

A reunião alargada do Agrupamento Europeu de Cidades Cerâmicas teve a presença de representantes da Itália, França, Espanha e Roménia, bem como dos candidatos ao primeiro alargamento – Alemanha, Portugal, Polónia, Áustria e a República Checa – e ainda da Suécia, Rússia, Suíça, Hungria que, entre outros, também manifestaram o maior interesse em poder vir a participar nesta plataforma.

Durante uma sessão muito participada foram apresentados, pelos responsáveis do projeto Europeu das Cidades Cerâmicas, os principais desafios que se impõem ao Agrupamento em defesa e para a promoção da cerâmica, bem como foi referida a realização, em setembro desse ano, de uma reunião em Bruxelas com as autoridades europeias, no sentido de defender os interesses da cerâmica nas suas mais variadas dimensões. A estas reuniões em Bruxelas, que se têm repetido, está também ligada a Associação Europeia da Indústria Cerâmica que vai igualmente defender o interesse do sector, face aos grandes desafios e ameaças que se colocam devido à globalização dos mercados.

A primeira Associação das cidades cerâmicas na Europa foi constituída em Itália em 1999, incentivada por legislação nacional com vista à proteção e promoção da cerâmica, tendo sido depois alargada a França em 2003, e a Espanha e à Roménia em 2007.

A AeuCC passará a contar com a participação de mais de 130 cidades e vilas cerâmicas de toda a Europa, nomeadamente 36 cidades italianas, 22 francesas, 28 espanholas, 16 romenas, 10 alemãs, 6 polacas, 3 checas e 14 portuguesas.

Entre elas encontram-se as principais cidades de tradição cerâmica europeia, como Faenza, Albisola, Deruta, Nápoles, Nove, Pesaro (Itália), Aubagne, Saint-Amand-en-Puisaye, Sèvres, St. Quentin La Poterie (França), Talavera de la Reina, Alcora, Argentona, Manises (Espanha), Horezu (Roménia), Horn-Grensausen, Mettlach, Selb (Alemanha), Kunstat (Rep. Checa), Boleslawiec (Polónia) etc..

Há ainda negociações para a entrada para a rede de mais países, como Áustria, Suíça, Croácia, Suécia, Rússia, Malta, Chipre, Eslovénia, Dinamarca, Lituânia, Bulgária, etc. Em estudo está também a hipótese de alargar a rede a cidades históricas da cerâmica no Japão, Coreia e China, que já participaram em 2016 na Festa da Cerâmica ARGILLÀ de Faenza.