TURISMO CENTRO DE PORTUGAL MANIFESTA PESAR PELOS INCÊNDIOS FLORESTAIS

Portugal está novamente de luto. Menos de quatro meses depois da tragédia que se abateu sobre as gentes de Pedrógão Grande, Figueiró dos Vinhos, Castanheira de Pera e Penela, o pesadelo dos incêndios voltou ontem a atingir o coração do Centro de Portugal.

A Entidade Regional de Turismo do Centro de Portugal vem, por esta forma, manifestar o mais sentido pesar pelas vítimas dos inclementes fogos que destruíram vidas humanas e animais e bens materiais nas aldeias, vilas e cidades da região, e que atingiram com particular violência os concelhos da Lousã, Vila Nova de Poiares, Penacova, Mortágua, Arganil, Sertã, Oliveira do Hospital, Tábua, Oleiros, Pampilhosa da Serra, Seia, Gouveia, Figueira da Foz, Mira, Aveiro, Vagos, Santa Comba Dão, Viseu, Tondela, Vouzela, Nelas, Carregal do Sal, Alcobaça, Marinha Grande, Caldas da Rainha, Lourinhã e Óbidos, só para citar as que se situam na região Centro de Portugal.

Os nossos pensamentos estão, em primeiro lugar, com as famílias enlutadas ou que sofreram danos pessoais e materiais. Sabemos que todos os portugueses se juntam a nós nesta mensagem de solidariedade e de dor.

Enviamos também um abraço solidário a todos os municípios afetados. O esforço de reconstrução começa hoje e sabemos que vai exigir o empenho sobre-humano de todos. Estão mobilizados todos os meios no combate aos incêndios e na proteção de pessoas e bens e as autoridades colocaram em curso os planos de emergência adequados a esta situação. No que diz respeito, em particular, ao setor turístico, a Turismo Centro de Portugal está, desde o primeiro momento, em contacto direto com o Turismo de Portugal, IP, no sentido de se proceder ao devido acompanhamento da situação, estando a proceder-se, numa primeira fase, ao levantamento dos prejuízos materiais e imateriais resultantes.

Finalmente, endereçamos as maiores palavras de louvor aos nossos bravos bombeiros e serviços de proteção civil, que, perante uma situação tão adversa, voltaram a mostrar a fibra de heróis que reconhecidamente são.