“A Romaria de Portugal” começa esta sexta-feira em Lamego

Uma programação de cariz religioso que promete atrair de novo milhares de fiéis, a par de um cartaz festivo de excelência e diversificado, tomam conta da cidade de Lamego a partir de hoje e ao longo dos próximos 25 dias durante as Festas em Honra de Nossa Senhora dos Remédios. O seu primeiro ato já ocorreu logo pela manhã: a leitura do convite à participação dos cidadãos de Lamego e seu termo feito pelo Arauto pelas principais ruas da cidade. A abertura oficial está marcada para logo à noite, às 21 horas, na Av. Dr. Alfredo de Sousa, seguindo-se depois o concerto “A Kind of Queen – Portuguese Tribute Show”. No final do espetáculo, o público está convidado a assistir a uma sessão de fogo de artifício. Este ano, o maior evento de cariz popular e religioso da região do Douro terá mais dias, com o objetivo de permitir que a diáspora portuguesa também possa viver e sentir estas festividades.
Nesta edição, também voltam a ser introduzidas mais novidades. Os espetáculos vão ser dotados de espaços acessíveis a pessoas com mobilidade condicionada e haverá a reedição do singular “Cortejo Etnográfico”, um desfile dedicado ao tema “A Vinha e o Vinho”, com cerca de 650 figurantes e 20 carros temáticos, alguns puxados por juntas de bois. Com a participação de vários ranchos da região do Douro, o cortejo mostrará as vivências, usos e costumes antigos do mundo rural e pretende assumir-se como uma importante “marca da programação cultural”.
Até 9 de setembro, “A Romaria de Portugal” oferece um programa variado, onde a música impera com a atuação de grandes nomes nacionais (Anselmo Ralph, Anjos, Camané, Sam the Kid e Mundo Segundo, entre outros) e o “ZigurFest”, festival inteiramente dedicado à musica e expressão artística feita em Portugal, mas também vão decorrer, como é tradição, outros momentos que fazem destas festividades um evento ímpar no país: a Marcha Luminosa, a Batalha das Flores, a Grande Noitada e, no último dia, o Fogo Preso. O momento mais alto da celebração volta a ser a Majestosa Procissão do Triunfo, com os andores a serem puxados por juntas de bois, durante a qual a componente religiosa adquire toda a sua plenitude.